A Convenção de Biodiversidade da ONU em 1992 no seu Art. 2 define a Biotecnologia como “qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica”. Frente à esta definição, podemos afirmar que a biotecnologia pode ser aplicada nas mais diversas áreas do conhecimento biológico, e principalmente, no desenvolvimento de ferramentas diagnósticas.

A detecção de marcadores moleculares, tem sido importantíssima nos últimos anos para o auxílio no diagnóstico de doenças. Quando o organismo passa por diferenças e respostas frente à uma doença, condição e agentes infecciosos, ele pode gerar pistas moleculares sobre tal interação, que quando detectada, se torna uma importante ferramenta diagnóstica. Podemos destacar o diagnóstico imunológico de HIV, onde uma interação com desempenha o papel da detecção de anticorpos na amostra biológica do paciente. Os tipos de reações que podem ser detectados laboratorialmente são diversos e vão desde testes colorimétricos, enzimáticos, imunológicos, dentre outros.

Um destaque interessante das ferramentas biotecnológicas no diagnóstico tem sido as inovações na detecção Point-of-Care, aquelas realizadas em curto espaço de tempo e que auxiliam o diagnóstico rápido. Um exemplo disso tem acontecido para o diagnóstico de Tuberculose (TB) Latente com o teste de detecção da liberação do Interferon Gama (INF-y), do inglês Interferon Gamma Realease Assay (IGRA-TB). Neste ensaio, é feita a coleta de sangue do paciente e esta amostra é colocada em contato com proteínas imunogênicas (antígenos) da Mycobacterium tuberculosis (ex. ESAT-6, CFP-10). Através da incubação de aproximadamente 24 horas, os linfócitos do sangue, são estimulados pelos antígenos e produzem INF-y em resposta. Esta produção é específica, pois apenas linfócitos que foram previamente expostos à bactéria da TB, irão realizar a liberação desta citocina. Em sequência, a detecção do INF-y pode ser feita através de um teste imunocromatográfico simples, realizado em 15 minutos e sem a necessidade de uma grande estrutura laboratorial.

O exemplo da detecção rápida no diagnóstico de TB nos mostra novamente a importância dos novos processos tecnológicos atrelados aos sistemas biológicos. Podemos observar como a utilização de moléculas específicas junto à estímulos biológicos podem trazer diagnósticos importantes como também o monitoramento de doenças e o controle de epidemias e pandemias. O monitoramento da Tuberculose Latente é importante para que a doença não evolua para a fase ativa e infecciosa, causando problemas de saúde no indivíduo infectado e na comunidade, por se tratar de uma doença contagiosa de grande importância em saúde pública.

 

Referências:

SIQUEIRA, Rubens Camargo; OREFICE, Fernando. Potencial do teste IGRA (Interferon Gama Release Assay) para o diagnóstico de tuberculose ocular. Revisão e análise comparativa com o teste tuberculínico cutâneo (PPD). Rev. bras.oftalmol., Rio de Janeiro, v. 78, n. 3, p. 202-209, June 2019.

A Convenção Sobre Diversidade Biológica: Cópia do Decreto Legislativo no. 2, de 5 de junho de 1992. 1. ed. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente (MMA), 2000. p. 7-30.

OLIVEIRA, V. K. S. D; COSTA, Lorena Faria; FONSECA, C. A. D. Principais Aplicações da Biotecnologia na Medicina. Revista Eletrônica de Farmácia, Brasil, v. 3, n. 2, p. 42-43, 2006.

Sulis, G., Centis, R., Sotgiu, G. et al. Recent developments in the diagnosis and management of tuberculosis. npj Prim Care Resp Med 26, 16078 (2016).